Origen
Proposito
Pilares
Red Internacional
Articulos
Talleres
¿Como Participar?
Cultura de Paz
Escuelas
Artículos de Conciencia 

O Som na Educação

Por que o som?

Sempre falamos do som, se buscarmos em livros ou meios de comunicação encontraremos como definição aquilo que podemos medir, dar suas características, formas físicas de como se move se expressa, classificá-lo, etc. Mas em si mesmo, quando nos perguntamos; o que é? Mais alem de como é, o que é?.... E entramos nesta pergunta uma e outra vez, aprofundando e abrindo esse espaço de curiosidade nos permitimos chegar a uma aproximação para a resposta... Nós a encontraremos com a compreensão de que “O som impulsiona a criação”; “Primeiro foi o verbo”; “Tudo se inicia com um grande som (Big Bang)” e outras muitas afirmações que estão presentes em nossas vidas, porem nem sempre nos detemos para compreendê-las.

Sugerimos que se dê permissão para abrir essa pergunta em você.

O QUE É O SOM?

Para nós o som é uma energia que permite veicular a consciência, que se expande e viaja a diferentes níveis.

O universo todo vibra, todo soa, pois cada partícula emite um som ainda que este não seja detectável por nossa capacidade auditiva. Ao unir-se uma partícula com outra e inter-relacionar-se, vão criando uma musica; uma organização de sons que sustentam sua harmonia. Em cada musica há um tom fundamental sobre o qual se constrói as outras notas. Nosso desafio é poder voltar a harmonizar-nos (como quando se afina um instrumento musical), com o tom original de nosso SER Divino.

O sentido de trabalhar com o som na educação é que o som permite integrar consciência de forma natural, simples e profunda. Enquanto, vai se produzindo está harmonização e processo de afinamento do SER.

No âmbito educativo encontramos várias formas para expressar e explorar dentro da manifestação do som; neste artigo repassaremos algumas delas e esclareceremos que cada uma é um capítulo completo por descobrir e aprofundar.

1.     Som puro: exploração sonora:

Trabalho com o reconhecimento do som interior inicia-se sempre com uma conexão interna, um momento de silenciamento. O silêncio nos conduz ao encontro do SER verdadeiro. Na uma realidade o silencio é um estado de consciência sonora.

“Se silencias o barulho da cidade, escutarás a natureza...

Se silencias o canto das aves, escutaras o canto da brisa,

Si silencias a brisa, escutarás sons mais sutis...

Se silencias teus pensamentos, escutarás teus sentimentos,

Se os silencias, talvez escutes teu SER”...

O trabalho com o som puro está vinculado a sons vocálicos e mantras específicos que a criança ou pessoa ao reproduzi-los vai ingressando em novos estados de consciência sonora, ate que se conecta com a realidade musical de seu ser interno e é capaz de começar a reproduzi-la, assim vai se harmonizando os sons ao tom principal.

2. Sons executados e cantos:

Trabalho com a criação de cantos, ativando-se a capacidade de ser co-criadores, excedendo o potencial criador de cada um.

Trabalha-se com o canto interior em suas múltiplas formas de expressão,  a partir do cantarolar, do assovio, do acalanto, do canto mental (sem som externo), e o canto meditativo.

Ativa-se o descobrir os sons de instrumentos musicais, desde tigelas de quartzo, de alinhamento de 7 metais, sinos tibetanos, harpa, instrumentos de cordas, de sopro e percussão. Criando a partir do código da harmonia.

3.Interatuar conscientemente com musicas já criadas:

Trabalho de escutar conscientemente uma obra musical criada por compositores. É um trabalho em que se realiza uma técnica de escuta consciente (criada originalmente por George Balan, musicólogo Romeno, radicado na Alemanha). Na qual se integra o movimento das mãos e braços ao processo da escuta. Ativa-se a capacidade de ser CRIADOR enquanto escuto, de tal forma que o processo de ouvir musica seja um ato criador e não um “passatempo”.

No trabalho realizado na Educação Evolutiva, tem-se feito uma investigação profunda (de mais de 12 anos); onde acessamos certas musicas específicas que potenciam habilidades particulares, segundo seja a musica. Favorecendo as inteligências múltiplas, (denominação de Howard Gardner).

Interatuar com a musica não só nos conecta com o poder do som, como também nos permite integrar vibração sonora, mais alem do que entendemos ou não, e ela vai realizando em nós o trabalho de harmonização interna. Algumas musicas permitem transportar o conhecimento e integrá-lo como consciência.

4. Incorporação de canções:

Os conteúdos educativos vão sendo dados através de canções criadas que potenciam o processo evolutivo. Trabalha-se ao tomar consciência das letras, o sentido e poder criar canções que não entorpecem o desenvolvimento evolutivo normal, sem dificuldades projetadas na experiência.

Na criação de canções se realiza o trabalho de que cada um ao criar suas canções, canta seu nome e busca o movimento – dança que nos permite expandir a realidade de quem somos.

5. Musicas que permitem liberar:

Em certos momentos, é necessário poder apoiar-se com musicas mais rítmicas que permitem soltar e aflorar as tensões e conectar-se com a capacidade de rir-se das dificuldades...

Ter em conta que sejam musicas que permitam movimento espontâneo, o jogo, o soltar. Atentos com o tipo de letras.

6. Sons que harmonizam as emoções:

Trabalha-se com os sons da natureza. Dos elementos e vai se reconhecendo esses elementos dentro do corpo. Conexão com o som da água ou brisas, o som do fogo... Que permitem entrar na tranqüilidade fazendo com que nos  sintamos estar contidos pela Mãe Natureza.

7. Sons de conexão com a Terra:

Aprofunda-se nos sons de percussão. Ativando o ESTAR. O sentir-nos firmes na terra.

Documento pertencente a Rede de Educação Evolutiva.
Autoriza-se a reprodução, respeitando-se a fonte original:
Irdinave, Educación Evolutiva.
www.educacionevolutiva.org

Tradução sandraferris@globo.com

 

Para Mayor Información, contactarse a: Info@EducacionEvolutiva.org